Grupo Gurdjieff São Paulo
Ausência
"As ausências curtas acirram o amor; as longas fazem-no morrer."
Mirabeau

De certo ponto de vista, podemos dizer que há dois tipos de Amor: o primeiro é pleno de alegria, confiança e entrega; é generoso, desinteressado, não é rancoroso e não tem má vontade. A sua dedicação é comovente! Assim, mesmo diante das dificuldades do relacionamento, não se revolta, mantendo-se grato e alegre. O segundo tipo de Amor, que infelizmente é muito mais comum entre as pessoas, é um poço de exigências, cobranças, imposições e ciúmes. É conflitante, pois produz atritos constantes, gerando ressentimento. Acredita sempre que não está sendo tratado justamente e é fonte perene de desentendimentos e de má interpretação. Na verdade, é uma mina de angústias e de sentimentos feridos.

Cabe a nós decidir qual dos dois queremos, qual dos dois é o ideal para a nossa vida.

Envie a um amigo


Adicione aos Favoritos

Veja outras mensagens:


26/5/2017
Caímos e nos levantamos, e a cada vez ficamos mais fortes. O único pecado é nos desencorajarmos.

25/5/2017
A um muçulmano que insultava um judeu, al-Hallâj disse, como forma de censura:
“Meu filho, todas as crenças provêm do Mais-Alto. Ele determinou uma crença para cada grupo, não por opção deste, mas por uma escolha que lhe foi imposta...
Saiba também que o judaísmo, o cristianismo, o islamismo e outras crenças são cognomes diferentes e denominações diversas, mas o Alvo dessas crenças não muda nem varia”.

Em seguida, declamou:
“Meditei sobre as crenças, esforçando-me por compreendê-las;
Encontrei, em todas, uma base única com múltiplas ramificações.
Não exija de quem quer que seja que adote esta ou aquela crença;
Isso impediria toda compreensão sólida.
Exija, em vez disso, uma Base que tenha, para a pessoa,
O mais alto significado: então, ela compreenderá”.

24/5/2017
No dia-a-dia, deixe que o corpo, o emocional e o mental trabalhem, mas experimente ser aquele que testemunha o trabalho dos três, tornando-se assim o Senhor dessas atividades.

23/5/2017
Amar é a nossa verdadeira natureza. O amor é inato no ser humano e, por isso, não precisamos fazer nenhum esforço para que ele comece a existir.
Desde criança amamos a nossa mãe, o nosso pai, os nossos irmãos e todas as pessoas que nos rodeiam.

Assim, devemos somente amadurecer e refinar esse amor já existente.
Como fazer isso?
Dirigindo-o para a nossa Essência Real que é uma fagulha do “Pai de Todas as Coisas”.

22/5/2017
Nosso Ser é como um lago cuja superfície é sempre assolada pelos ventos de um mental agitado, de um emocional sofrido e de um corpo inquieto e tenso.
No entanto, nas profundezas desse lago não há ondas movimentando-se.
Assim é o Ser profundo: constantemente calmo.

21/5/2017
A evolução verdadeira não é a evolução das civilizações com seus maquinários, mas a evolução da consciência.

7/5/2017
A violência é fruto de um estado interior de infelicidade. Assim, é importante buscarmos pequenos gestos de amor, acolhimento, simpatia e calor humano, que atuam como antídoto contra o veneno do rancor que circula entre nós seres humanos.

extraído do Lições de Amor

6/5/2017
Dentro de nós, existe uma estranha força que nos impele constantemente a criar novas necessidades, complicando-nos, cada vez mais, em um processo doloroso e sem fim.
Cabe a cada um diagnosticar esse processo e opor-lhe resistência.
O prêmio será uma vida mais leve, simples e feliz.
Viver com simplicidade é uma Arte.